Quinta dos Penedinhos: perdiz vermelha e coelho bravo de excelência para os caçadores mais exigentes e muito mais

Localizada em plena Reserva Ecológica Natural do concelho de Sintra, a Quinta dos Penedinhos dedica-se à criação das espécies cinegéticas mais procuradas em Portugal: a perdiz vermelha (Alectoris Rufa) e o coelho bravo (Oryctolagus Cuniculus Algirus). 

Situada num local com condições naturais privilegiadas, a Quinta dos Penedinhos apostou na primazia da qualidade das suas infraestruturas e construiu um centro cinegético, um conjunto de instalações que visam, sobretudo, garantir a melhoria contínua da qualidade da sua produção.

Neste artigo apresentamos o que distingue a criação da Quinta dos Penedinhos e os serviços que pode usufruir para valorizar a sua zona de caça.

Centro Cinegético: onde as perdizes vermelhas e os coelhos bravos nascem e se desenvolvem 

A estrutura do centro cinegético da Quinta dos Penedinhos foi pensada para dar resposta a diferentes necessidades relacionadas com a criação do coelho bravo e da perdiz vermelha. O investimento traduziu-se no aumento gradual da produção, mas também numa maior qualidade dos animais aí criados, fruto de uma gestão exigente e rigorosa.

No caos da perdiz vermelha, entre as diferentes estruturas do centro cinegético, destacam-se:

Parques dos Reprodutores

Aqui, os reprodutores estão em jaulas apropriadas, com todas as condições, inclusivé ambientais, ideais para assegurar um bom acasalamento e postura. 

Salas de Incubação e Eclosão

Localizadas no interior do centro, é neste local que é feito o maneio dos ovos, desde a sua seleção e desinfeção até à eclosão dos perdigotos, com incubações semanais, durante a época de postura.

Salas de Criação

Neste espaço, os perdigotos usufruem das melhores condições para que possam desenvolver-se de uma forma saudável, tornando-se num excelente desafio de caça até para os caçadores mais experientes.

Parques de Voo

É aqui, nestes parques, alguns com cerca de 160 metros de comprimento, 6,5 metros de largura e 3 metros de altura, que as perdizes desenvolvem as suas capacidades de voo e mostram o que valem. É nestes corredores que a qualidade das perdizes da Quinta do Penedinhos começa a despontar e assume a forma de produto acabado com voos  longos e bem delineados, cuja excelência ganha contornos ainda mais evidentes nas zonas de caça, em especial nos respetivos  campos de treino (lagadas). 

Perdizes vermelhas e coelhos bravos: uma criação de qualidade superior

Inserida numa região vocacionada para a criação da caça brava, a Quinta dos Penedinhos focou a sua produção em duas espécies de caça-menor: o coelho bravo e a perdiz vermelha. Saiba como é realizada a criação destes animais:

A criação da Perdiz Vermelha

No caso da perdiz vermelha, a criação é feita, uma parte no exterior e outra parte no interior, no centro cinegético da Quinta dos Penedinhos. A recolha dos ovos dá-se durante a época de postura, que ocorre entre fevereiro e julho de cada ano. 

Cumprindo um conjunto de exigências que garantem a qualidade das criações, os ovos são selecionados, desinfetados, incubados e, após a eclosão, os pintos de perdiz vermelha são colocados em salas próprias para que possam desenvolver-se. Quando atingem a idade apropriada, são transferidos para os parques de voo, local onde vão treinar e aprimorar as suas capacidades de voo. 

A concluir a duplicação da capacidade de produção, a Quinta dos Penedinhos estima atingir as 25 mil perdizes por ano em 2023. Neste momento, a produção de perdizes situa-se na ordem das 20 mil perdizes por ano.

Características da perdiz vermelha da Quinta dos Penedinhos

Ao longo dos anos, a Quinta dos Penedinhos tem vindo a assegurar a bravura das suas perdizes vermelhas, através dos seus parques de voos, que são dos maiores do país, bem como através da minimização do contacto humano. 

A criação do Coelho Bravo

O ciclo de reprodução do coelho bravo acontece entre outubro e junho de cada ano, atingindo o seu pico no mês de abril. 

Na Quinta dos Penedinhos, a criação do coelho bravo faz-se em regime extensivo, no exterior, no centro cinegético, onde os reprodutores são mantidos em parques murados. Sempre que há novas ninhadas, os láparos são apanhados, vacinados e sexados e, depois com 2 a 3 meses de idade, estão disponíveis para venda.

Neste momento, a Quinta dos Penedinhos apresenta uma capacidade de produção de 500 coelhos bravos por ano.

Características do coelho bravo da Quinta dos Penedinhos

A Quinta dos Penedinhos replica nos seus parques as condições naturais em que os coelhos bravos vivem e se reproduzem, o que lhes garante, só por si, uma genética pura.

Gestão Técnica: a garantia de qualidade das perdizes vermelhas e dos coelhos bravos

A experiência e o conhecimento adquiridos permitiu à Quinta dos Penedinhos desenvolver um modelo de gestão técnica que tem vindo a garantir a qualidade superior da sua produção.

Ao longo dos anos, os caçadores que recorrem à Quinta dos Penedinhos têm testemunhado o apuramento da qualidade das perdizes vermelhas que resulta no refinamento de 3 principais características:

  • Bravura;
  • Capacidade Voo;
  • Robustez Física.

No âmbito da sua atividade, são prestados um conjunto de serviços que visam responder às necessidades dos caçadores. Além de fornecer perdizes vermelhas e coelhos bravos, a Quinta dos Penedinhos tem à sua disposição:

Serviço de Consultoria Estratégica e Operacional

Neste serviço, as zonas de caça podem usufruir de um aconselhamento e planeamento especializados para assegurar um eficaz repovoamento numa perspetiva de médio e longo prazo. 

Através de um modelo próprio, a Quinta dos Penedinhos, em conjunto com os gestores das zonas de caça, identifica dentro das reservas os melhores locais para a solta dos animais, incluindo a construção dos pontos de solta, e os períodos do ano em que deve ser feita a solta dos animais no âmbito das ações de repovoamento.

Construção dos pontos de solta

Os pontos de solta devem incluir sempre um comedouro e um bebedouro (opcional), sendo por isso a sua correta construção um dos fatores-chave para o sucesso do repovoamento de uma zona de caça. Além do comedouro e do bebedouro (opcional), os pontos de solta devem ser construídos com materiais específicos e em locais estratégicos, servindo de proteção contra os ataques súbitos dos predadores, tanto por via terrestre, como por via aérea.

Mas estes são apenas alguns dos requisitos que um bom ponto de solta deve cumprir. Existe uma forma correta de construir os referidos pontos de solta e a Quinta dos Penedinhos sabe como fazê-lo.

Se procura perdizes vermelhas e coelhos bravos de qualidade ou precisa de consultoria estratégica e operacional, fale connosco. Temos o conhecimento e a experiência necessários para alavancar o sucesso da sua zona de caça.

A Importância do Repovoamento de Perdiz Vermelha no Outono

O repovoamento de perdiz vermelha no Outono representa um reforço importante para colmatar as perdas sofridas durante o verão, nomeadamente por efeito da predação, e assegurar que grande parte das perdizes objeto do repovoamento realizado no início do Verão consigam sobreviver à época de caça, por forma a poderem iniciar um novo ciclo de acasalamento e nidificação, que acontece durante o Inverno e a Primavera.

A Perdiz Vermelha é uma espécie que necessita de atenção e cuidados especiais no seu repovoamento.

Assim, é essencial procurar um criador com experiência neste tipo de repovoamentos, que seja capaz de delinear uma estratégia eficaz por forma a minimizar o número de futuras perdas, e assim, maximizar o número de efetivos de perdiz vermelha a longo prazo.

O habitat tem um grande impacto na sobrevivência desta espécie, sendo que os predadores são a causa de cerca de 50% das mortes destas aves.

Repovoamento no Outono

Durante o Outono, é importante fazer um ou mais reforços do repovoamento de perdiz vermelha por diversas razões: A primeira, desde logo, porque durante o Verão os predadores estiveram mais ativos e as perdizes passaram por um momento vulnerável com o nascimento dos perdigotos; A segunda, propiciar as condições para que as perdizes colocadas no terreno, no Verão, consigam sobreviver à época de caça por forma a, como já dissemos, poderem iniciar um novo ciclo de reprodução. Perguntarão como? E porquê?

Nós atrevemo-nos a dizer que as perdizes colocadas no terreno, no Outono, vão desviar a atenção dos caçadores das mais velhas – objeto do repovoamento de Verão – dando-lhes assim maiores probabilidades de sobrevivência.

Por outro lado, partimos do princípio que as perdizes colocadas no terreno, no início do Verão, por serem mais velhas, atingirão o Inverno com uma maturidade sexual superior àquelas que foram largadas no Outono.

Esta estação também é caracterizada pela existência de bandos de perdizes, que podem atingir, no limite, 25 a 30 efetivos.

Resumindo, o repovoamento durante o Outono é essencial para equilibrar as perdas sofridas durante o verão e promover a sustentabilidade das perdizes no longo prazo.

Como preparar um Repovoamento Bem-Sucedido

Para realizar um repovoamento bem-sucedido a qualidade das aves que vão ser largadas é tão importante como a preparação prévia do terreno que irá ser o seu futuro habitat.

Um bom repovoamento de perdiz vermelha deve ser feito por um criador capaz de oferecer:

  • Uma correta avaliação do terreno;
  • Procedimentos de limpeza do terreno;
  • Ajuda na escolha dos melhores locais para servirem de pontos de solta considerando o abrigo, a alimentação e a água;
  • Condições de criação que permitam uma adaptação mais fácil das aves;
  • Perdizes preparadas para melhor sobreviver, entre outros, aos predadores;
  • Perdizes com a idade desejada para o objetivo pretendido;
  • Uma estratégia de repovoamento a longo prazo.

Estes são apenas alguns dos aspectos chave que um criador deve dominar para obter resultados positivos em qualquer ação de repovoamento.

Os repovoamentos realizados pela Quinta dos Penedinhos

Com mais de 10 anos de experiência, a Quinta dos Penedinhos tem sido capaz de dar uma resposta positiva aos diversos pedidos dos seus clientes.

Para garantir a qualidade e a satisfação nos repovoamentos, trabalha diretamente com os clientes, no desenvolvimento das melhores estratégias que promovam um repovoamento eficaz, sustentável e capaz de crescer ao longo dos anos.

Por serem criadas em cativeiro, existe uma preocupação especial em combater as debilidades que as perdizes possam apresentar, através de uma simulação e preparação, para que consigam superar os obstáculos que se lhes depararem no seu novo habitat e apresentar, ao mesmo tempo, um bom desafio para os caçadores mais exigentes.

Se procura perdizes de qualidade e um criador experiente, contacte a Quinta dos Penedinhos. 

Estamos ao seu dispor para atender qualquer pedido e oferecer a ajuda que procura. Os nossos clientes são o testemunho vivo do serviço de excelência que a Quinta oferece.

Repovoamento de Verão da Perdiz Vermelha

A Perdiz Vermelha é uma espécie bastante vulnerável, afetada por inúmeros fatores que limitam a sua presença nos locais habituais, sendo necessário recorrer ao repovoamento.

Assim como outras épocas do ano, o verão apresenta características que influenciam o processo.

Ainda assim, as estratégias a utilizar para fazer o repovoamento da Perdiz Vermelha devem ser cuidadosamente pensadas e delineadas entre o produtor e o cliente.

Que razões existem para o Repovoamento?

A grande razão prende-se com o facto de as Perdizes Vermelhas serem afetadas por vários fatores de pressão que condicionam a sua vida. São eles:

  • Caça;
  • Substituição de sementeiras de cereais, como o trigo, por áreas de olival ou vinha, por exemplo;
  • Utilização massiva de inseticidas e pesticidas que contaminam as águas;
  • Agricultura intensiva com colheitas cada vez mais cedo;
  • Alterações climáticas, com secas mais frequentes que levam à falta de água na natureza;
  • Abandono da pequena agricultura, que conduz ao crescimento descontrolado de mato;
  • Proliferação de predadores (javalis, ginetes, cães vadios, entre outros).

Porquê fazer o Repovoamento no Verão?

A todos estes fatores de risco para a Perdiz Vermelha aliam-se outros específicos da época do verão que comprometem a população da espécie, levando à necessidade de repovoamento.

É nesta altura que ocorre o nascimento das crias, além de se desfazerem os bandos criados no inverno (que chegam a ter 20 elementos) e de se formarem grupos de fêmeas com a respetiva criação.

Tudo isto significa que, no verão, estas aves encontram-se mais desprotegidas e isoladas, o que aumenta o risco de serem atacadas por predadores animais.

O processo deve ser realizado a 3 tempos (inverno, verão e outono).

Contudo, realizar este processo no verão, libertando perdigotos de idade adequada, traz uma vantagem: por altura da abertura da época de caça (em outubro) os perdigotos libertados já serão adultos e estarão completamente adaptados ao terreno, comportando-se como se tivessem nascido e crescido no campo.

Repovoamento da Perdiz Vermelha no Verão

Como fazer o Repovoamento nesta época do ano?

Para conseguir realizar um repovoamento eficaz das Perdizes Vermelhas é necessário garantir a sobrevivência das fêmeas durante o primeiro ano, idealmente até à segunda época de acasalamento.

Existem várias estratégias a adotar – na grande maioria, a responsabilidade de uma correta utilização dessas estratégias é de quem produz e cria as aves.

O objetivo de qualquer ação de repovoamento é o de procurar criar condições naturais propícias a uma plena integração das aves criadas em cativeiro no seu novo habitat.

Mas como o conseguir? Através das seguintes medidas:

  • Abrigo: mato controlado nas áreas das searas ou próximo dos comedouros;
  • Alimentação: natural, tanto quanto possível, ou rede de comedouros estrategicamente localizados;
  • Água: presente em charcas, rios ou ribeiras, por exemplo, ou através de bebedouros, desde que seja água de qualidade;
  • Ausência de perturbação: minimizar a presença humana, desmatação controlada e controlo de predadores;
  • Animais: qualidade das perdizes a soltar no terreno.

Se todas estas condições forem asseguradas, é apenas necessário realizar a operação de solta, isto é, libertar as aves.

Procura um produtor especialista em Repovoamento?

Esta espécie, por norma, adapta-se mal a alterações impostas no seu habitat.

Por isso, para minimizar estes efeitos, é importante recorrer a um especialista, que prepara e analisa estratégias que garantem um repovoamento de Perdizes Vermelhas bem-sucedido.

Sendo um dos maiores produtores a nível nacional, a Quinta dos Penedinhos tem todas as condições e técnicas para ajudar no processo.

A Importância do Repovoamento de Inverno de Perdiz Vermelha

Noutro artigo defendemos o horizonte temporal de médio/longo prazo e um plano anual de repovoamento a três tempos – Inverno, verão e outono – como condições de sucesso, entre outras, para qualquer ação de repovoamento de Perdiz Vermelha.

Neste artigo vamos explicar porque é que, em nossa opinião, deve ser dada especial atenção ao repovoamento de inverno e como o mesmo deve ser feito?

Fatores de Risco para a População de Perdiz Vermelha

Pelas suas características, como o voo a média altura ou o som característico que emite no arranque, a Perdiz Vermelha é uma das aves de caça mais procuradas pelos praticantes desta atividade.

Contudo, a perdiz vermelha tem de sobreviver a inúmeros desafios durante o seu ciclo de vida.

Devido a inúmeros fatores, nomeadamente à agricultura moderna (intensiva) e à proliferação crescente do mato com o consequente aumento dos predadores, tem-se verificado uma diminuição significativa da população desta espécie cinegética um pouco por toda a Europa.

Damos um exemplo: Quem não se lembra dos tempos em que as searas de trigo eram ceifadas à mão e em que as mulheres e os homens desses ranchos ao encontrar um ninho de perdiz protegiam o mesmo deixando intacta a ceara em torno do ninho? Hoje em dia, qual é a máquina ceifeira-debulhadora que consegue “ver” um ninho e se permite passar ao lado do mesmo?

Para além disso, estimamos que as mortes por predação – aérea e terrestre – se situam em aprox. 85% da população de perdiz vermelha residente, sem esquecer a pressão da própria caça.

A Perdiz Vermelha apresenta, por sua vez, uma fraca capacidade de adaptação às alterações do seu habitat impostas pelo Homem, sendo por isso, muito importante o recurso a criadores experientes no trabalho de repovoamento, capazes de contrariar, a redução da população de perdiz vermelha no terreno.

O repovoamento da perdiz vermelha é, atualmente, essencial para garantir o constante fluxo da espécie em zonas de caça.

É, portanto, essencial procurar estratégias que promovam o bem-estar desta ave, estimulem a sua reprodução e ofereçam proteção contra os predadores.

Comportamento da Perdiz Vermelha durante a Época de Reprodução

A Perdiz Vermelha é uma espécie que, durante o período de verão e outono, é frequentemente vista em bandos, que podem chegar a ser constituído por mais de 20 indivíduos.

Estes bandos acabam por desfazer-se naturalmente no início do inverno (dezembro/janeiro), para darem início ao processo de acasalamento e reprodução.

O acasalamento da perdiz varia consoante a região em que se encontra. No norte acontece entre Fevereiro e Março. No sul é mais cedo, entre Janeiro e Fevereiro.

Também as condições meteorológicas podem influenciar este processo, já que a perdiz constrói o seu ninho no solo, junto a linhas de água ou de percursos pedonais, com plantas e ramos secos.

Também a postura dos ovos ocorre em períodos diferentes, dependendo da localização desta ave. No norte decorre entre Abril e Maio. No sul, ocorre entre Março e Abril.

Em relação ao número de ovos colocados em cada ninho, estes podem ir dos 8 aos 23. A média é de 12 por incubação. Este processo começa assim que é posto o último ovo e dura à volta de 23 dias. Por vezes, a perdiz constrói um segundo ninho que pode ser incubado pelo macho. Isto costuma acontecer quando o primeiro ninho é destruído.

Entre Maio e Junho dá-se a eclosão das crias. Os perdigotos, como são uma espécie nidífuga, saem do ninho assim que nascem e juntam-se ao bando, que se mantém unido até entrar novamente na fase de acasalamento.

Como deve ser feito o repovoamento?

Perante a degradação sistemática do seu habitat natural, a perdiz vermelha tem vindo a apresentar uma degradação progressiva do seu índice reprodutivo.

Para contrariar esta situação, torna-se essencial dominar técnicas para aumentar a sua sobrevivência e garantir a qualidade das mesmas.

Algumas das principais medidas para se fazer um repovoamento eficaz de Perdiz Vermelha no inverno, são:

  • Adotar estratégias no terreno que assegurem a sobrevivência da perdiz;
  • Soltar aves com maturidade sexual, entre outros, que garantam o acasalamento e a nidificação;
  • Estudar as zonas objeto de repovoamento e libertar as aves nas áreas mais adequadas e de menor risco de predação;
  • Melhorar o seu habitat, fornecendo abrigos (manutenção das sebes e arbustos) e zonas de alimentação suplementar (comedouros);
  • Fazer o repovoamento preferencialmente em fins de dezembro.

Produtores com grande experiência criaram modelos capazes de garantir o sucesso do repovoamento da Perdiz Vermelha.

A Quinta dos Penedinhos desenvolveu o modelo Mosaico Estratégico, que abrange os 5 principais fatores de sucesso no repovoamento desta espécie: Abrigo, Água, Alimentação, Ausência de Perturbação e Animais.

A Perdiz Vermelha da Quinta dos Penedinhos

Com efeito, a Quinta dos Penedinhos consegue oferecer aos seus clientes perdizes com a idade e demais características necessárias para garantirem os resultados desejados ao longo de todo o período de reprodução.

Se ficou com interesse, fale connosco. Na Quinta dos Penedinhos, estamos sempre disponíveis para esclarecer qualquer questão.

Criamos Perdizes Vermelhas para os caçadores mais exigentes

A Perdiz Vermelha é uma das espécies de caça menor mais apreciada em Portugal.

Mas esta ave, sendo muito suscetível às condições do seu meio ambiente, precisa, por isso, de uma atenção especial no momento da sua criação e durante o próprio processo de repovoamento.

Só assim é possível aumentar a capacidade de sobrevivência da espécie e promover, desde logo, a sua integração num novo habitat.

A escolha de um criador experiente e capaz de utilizar as melhores técnicas baseadas no conhecimento adquirido é assim essencial para um repovoamento de sucesso.

A Perdiz Vermelha da Quinta dos Penedinhos

Fruto da qualidade das suas perdizes, a Quinta dos Penedinhos conquistou já um lugar de destaque no sector, afirmando-se como um dos criadores de referência de Perdiz Vermelha no nosso país.

As modernas instalações, os conhecimentos e a experiência adquiridos, bem como o desenvolvimento e a utilização de técnicas inovadoras ao longo dos anos, permitiram-nos fornecer aos nossos clientes perdizes com as seguintes características:

  • Robustez física notória;
  • Plumagem bonita e bem colorida;
  • Voos bem delineados e extensos;
  • Arranque poderoso;
  • Capacidade de sobrevivência aos predadores;
  • Adaptação às condições do novo habitat.

A nossa Perdiz apresenta, sobretudo, um bom desafio para os caçadores mais exigentes e experientes:

  • Escondendo-se com frequência;
  • Não se deixando aproximar, levantando-se muitas vezes fora do alcance do tiro;
  • Capazes de realizar excelentes voos, tanto em altura, como em comprimento;
  • Mas também fazendo boas paragens aos cães.

Características de um Bom Criador

Como já referimos, a competência do criador, em particular no caso da Perdiz Vermelha, é essencial para que o resultado final vá ao encontro das expectativas dos caçadores.

Por esse motivo, a Quinta dos Penedinhos desenvolveu um conjunto de serviços capazes de proporcionar um apoio aos seus clientes, que vai muito para além do simples fornecimento da espécie Perdiz Vermelha.

1. Consultoria estratégica

Procuramos perceber as necessidades próprias dos nossos clientes, através da análise do terreno a ser repovoado e de um planeamento estratégico que permita assegurar um repovoamento eficaz a médio/longo prazo.

2. Consultoria operacional: Modelo próprio “Os 5 A’s”

Com mais de 10 anos de experiência, a Quinta dos Penedinhos desenvolveu o seu próprio modelo, designado Mosaico Estratégico, abrangendo os cinco principais fatores para um repovoamento de sucesso: Abrigo, Água, Alimentação, Animais e Ausência de Perturbação.

3. Oferta de perdizes com garantias de adaptação ao meio ambiente, acasalamento e nidificação

Para um repovoamento bem-sucedido de Perdiz Vermelha é muito importante que estas consigam: sobreviver e procriar.

Localizados em plena Reserva Ecológica Nacional e graças ao moderno centro cinegético, com ca. de 1.000 m2 de área coberta e parques de voo com 140 metros de comprimento, estão criadas as condições ideais para a produção de perdizes preparadas para enfrentar os novos habitats e se reproduzirem, de forma a assegurar a continuidade da espécie a longo prazo.

Criação da Perdiz Vermelha num ambiente controlado

A criação desta espécie num ambiente controlado pode fazer com que as perdizes apresentem algumas debilidades no momento em que tiverem de enfrentar o novo habitat natural.

Neste sentido, a Quinta dos Penedinhos procura mimetizar o habitat natural da perdiz, de modo a preparar as suas perdizes para a futura realidade.

Por este motivo, uma das principais vantagens apontadas pelos nossos clientes é o facto das nossa perdizes mostrarem, desde a primeira hora, uma capacidade de adaptação ao terreno excecional.

Se ficou com interesse, fale connosco. Estamos disponíveis para atender os seus pedidos.

Para quando a Abertura dos Campos de Tiro?

Por força da pandemia da COVID-19 decretada pela OMS e do Estado de Emergência decretado pelo governo português, foram os campos de tiro encerrados a partir de 15 de março de 2020.

O encerramento dos campos de tiro, nomeadamente as zonas de caça associativas, municipais e turísticas, veio prejudicar de uma forma geral todas as empresas gestoras dos referidos campos de tiro, bem como todas as empresas a montante do referido setor, nomeadamente as empresas de criação de perdizes e outras espécies de caça menor destinadas ao repovoamento das zonas de caça acima indicadas.

A empresa, tal como outras do mesmo setor de atividade, viu-se penalizada a partir de 15 março 2020 da seguinte forma:

  1. Impossibilitada de vender as perdizes em stock aos campos de tiro;
  2. Obrigada a manter os seus postos de trabalho; sem possibilidade de recorrer ao lay-off por força das condições específicas da sua atividade como a seguir explicamos;
  3. Obrigada a cumprir as suas obrigações com diversos fornecedores de rações, medicamentos, higiene e limpeza, gás, contabilidade, etc., porque a postura de ovos não pára, tal como o nascimento e o crescimento dos perdigotos.

Relativamente às especificidades da atividade de criação de perdizes e outras espécies de caça menor, importa realçar os seguintes aspetos:

  • As empresas possuem, de uma maneira geral, efetivos reprodutores que precisam de ser cuidados durante todo o ano;
  • A postura das perdizes ocorre de forma sazonal entre janeiro e julho de cada ano impondo, desde logo, a recolha, a limpeza e a desinfecção dos ovos; alguns criadores efectuam ainda o registo dos ovos no âmbito de uma gestão técnica, como é o nosso caso;
  • O nascimento dos perdigotos costuma ocorrer, de uma maneira geral, entre março e agosto de cada ano, exigindo às empresas uma taxa de ocupação da mão-de-obra crescente no acompanhamento e cuidado das aves desde o seu nascimento até à fase adulta.

Destas especificidades resulta que, pelo facto da atividade comercial estar parada, o trabalho que é exigido aos criadores de perdiz vermelha e outras espécies de caça menor, nesta época do ano, apresenta um ritmo crescente pelas razões operacionais acima indicadas.

Ora, perante este quadro pouco ou nada animador, temos vindo a desenvolver esforços junto de diversas entidades actuando próximo do Ministério da Agricultura (ICNF) e do Ministério da Economia, no sentido dos campos de tiro poderem vir a integrar a lista de actividades económicas objecto do levantamento parcial de condicionantes, com efeitos já a partir do início de maio 2020.

No nosso entender, o ato de caçar é um ato isolado (livre do risco de infecção ou contágio) e, sendo um desporto, apresenta benefícios para a saúde física e mental do caçador, não só pelo exercício físico em pleno campo que lhe é exigido, mas ainda pela interacção com os seus animais de estimação, i.e. os cães de caça.

Contudo, o que deverá ser regulado é o ajuntamento de caçadores antes e depois do acto venatório e, bem assim, durante a organização de largadas. Neste contexto importa assegurar o distanciamento social e/ou o uso obrigatório de máscaras de protecção individual.

Como deve ser feito o Repovoamento da Perdiz Vermelha?

Pelas suas características, como o voo a média altura ou o som característico que emite no arranque, a Perdiz Vermelha é uma das aves de caça mais procuradas pelos praticantes desta atividade.

No entanto, devido a múltiplos fatores, nomeadamente a agricultura moderna (intensiva) e o abandono progressivo da pequena agricultura com a proliferação crescente do mato e o consequente aumento dos predadores, bem como a luta constante contra pragas de insetos conduzindo à natural contaminação dos solos e das águas por pesticidas e inseticidas, tem-se assistido a um decréscimo do número de aves desta espécie um pouco por toda a Europa. A Perdiz Vermelha apresenta, por outro lado, uma fraca capacidade de adaptação às alterações do seu habitat impostas pelo Homem, sendo por isso, cada vez mais importante o recurso a criadores de perdiz de qualidade e com experiência no trabalho de repovoamento, capazes de contrariar a redução da população de perdiz vermelha no terreno.

O repovoamento da perdiz vermelha é, atualmente, essencial para garantir o constante fluxo da espécie em zonas de caça.

Importância de uma eficaz ação de Repovoamento da Perdiz Vermelha

Como já foi dito, a perdiz vermelha tem de sobreviver a inúmeros desafios durante o seu ciclo de vida, sem esquecer a pressão da própria caça. É, portanto, essencial procurar estratégias que promovam o bem-estar desta ave, estimulem a sua reprodução e ofereçam proteção contra os predadores.

Comportamento Gregário da Perdiz Vermelha ao longo do Ano

A Perdiz Vermelha é uma espécie que, durante o período do Verão e do Outono, é frequentemente vista em bandos, que podem chegar a ser constituídos por mais de 20 efectivos.

Estes grupos acabam por ser desfeitos no início do período reprodutivo (janeiro), para darem início ao processo de reprodução (acasalamento).

Durante os meses de janeiro e fevereiro, o macho escolhe o território preparando-se para o defender.

Como fazer o Repovoamento da Perdiz Vermelha?

Perante a degradação sistemática do seu habitat natural pelos motivos acima indicados, a que acresce ainda uma baixa capacidade de adaptação às referidas alterações do seu habitat, a perdiz vermelha tem vindo a apresentar uma degradação progressiva do seu índice reprodutivo.

Por forma a contrariar esta situação, torna-se essencial dominar e possuir capacidade para implementar técnicas que promovam as condições necessárias à sobrevivência da perdiz vermelha e garantam a qualidade das mesmas.

Acreditamos que, para ser eficaz, o repovoamento de perdiz vermelha deve, desde logo, ter uma perspetiva (estratégia) de médio/longo prazo e ser realizado, anualmente, a três tempos:

  • 1º Tempo: Inverno (janeiro)
  • 2º Tempo: Verão (junho)
  • 3º Tempo: Outono (outubro/dezembro)

No 1º Tempo, o Repovoamento (de Inverno) deve ser feito com aves adultas e maturidade sexual propícia a um eficaz acasalamento, nidificação e eclosão de perdigotos a partir de aimo e junho.

No 2º Tempo, o Repovoamento (de Verão) deve ser realizado com perdigotos de idade adequada a formação de bandos próprios ou integração nos bandos já existentes de perdizes nascidas no terreno.

No 3º Tempo, o Repovoamento (de Outono) deve garantir a reposição das perdizes abatidas pelos caçadores; e mais importante, é que as perdizes colocadas nesta altura no terreno, por serem mais vulneráveis aos caçadores, desviem a atenção destes das perdizes objeto do repovoamento de Inverno (incluindo as perdizes já nascidas no terreno) e de Verão, menos vulneráveis e perfeitamente adaptadas e conhecedoras do terreno, comportando-se como autênticas perdizes bravas.

Importa, ainda, salientar que em cada tempo poderão ser usadas diversas técnicas diferentes de libertação das perdizes.

Algumas das principais medidas para se fazer um repovoamento eficaz da Perdiz Vermelha são:

  • Adotar procedimentos que assegurem as melhores condições de sobrevivência das perdizes durante o ano;
  • Melhorar o seu habitat, fornecendo abrigos, zonas de alimentação suplementar, bebedouros, manutenção das sebes e arbustos;
  • Controlar os predadores;
  • Estudar as zonas de repovoamento e libertar as aves nas áreas mais adequadas (p.e. soalheiras);
  • Tomar medidas que garantam o acasalamento, a nidificação e o nascimento dos perdigotos;

Produtores com grande experiência criaram modelos capazes de garantir o sucesso do repovoamento da Perdiz Vermelha.

A Quinta dos Penedinhos desenvolveu o modelo Mosaico Estratégico, que abrange os 5 principais fatores de sucesso no repovoamento desta espécie: Abrigo, Água, Alimentação, Animais e Ausência de Perturbação.

A Perdiz Vermelha da Quinta dos Penedinhos

A Quinta dos Penedinhos está apta a fornecer aos seus clientes, em cada momento, as perdizes com as características mais adequadas aos três tipos de repovoamento acima indicados.

Dispomos, para o efeito, de instalações modernas e utilizamos técnicas inovadoras por forma a dotá-las dos melhores traços fenotípicos da sua raça (Alectoris Rufa), maximizar a sua capacidade de voo e incutir-lhes as melhores características de adaptação ao meio ambiente.

Dispomos, ainda, de um serviço de consultoria e acompanhamento para as ações de repovoamento.

As nossas perdizes são ideais para o repovoamento de zonas de caça, sendo capazes de satisfazer os caçadores mais exigentes e experientes.

Se ficou com interesse, fale connosco. Na Quinta dos Penedinhos, estamos sempre disponíveis para esclarecer qualquer questão.

Nesta época em que o Mundo em geral, e Portugal em particular, sofre os efeitos de uma pandemia devastadora de COVID-19, solicitamos que todos os contactos sejam feitos por mail, telemóvel, videochamada (WhatsApp) ou outros meios de comunicação à distância disponíveis. O nosso Plano de Contingência assim obriga.

Para o bem de todos.

Bem Hajam!

Perdiz de 2018 choca 15 ovos num parque de voo em Junho 2019

Com efeito, o video documenta uma perdiz vermelha com uma idade estimada de 12 meses, criada em cativeiro, na Quinta dos Penedinhos, que nidificou e pôs 15 ovos. Chocou-os como mostra o video durante cerca de 1 mês, ao fim de um mês, retirámos os ovos para análise e verificámos que os mesmos não estavam galados, razão pela qual não nunca poderiam eclodir quaisquer perdigotos por mais tempo que a perdiz os chocasse.


Neste caso concreto, o facto dos ovos não estarem galados, poderá ser explicado por várias razões, nomeadamente, a existência de um bando de perdizes de dimensão considerável confinado a um espaço – parque de voo – relativamente pequeno, sem condições para um natural acasalamento. Aqui está a prova de que as perdizes criadas em cativeiro, quando libertadas na Natureza, e desde que atinjam a maturidade sexual necessária, conseguem acasalar, nidificar e criar perdigotos.

Caça à Perdiz: Onde e como praticar esta atividade cinegética?

Sendo a perdiz uma espécie relativamente abundante em todo o território nacional e com um comportamento adequado à prática cinegética, faz com que a caça à perdiz esteja no topo das preferências dos caçadores.

Silêncio, astúcia e perspicácia são palavras de ordem para os amantes desta atividade.  Mas há mais!

Vamos partilhar alguns dos melhores conselhos para a prática da caça à perdiz e os locais ideais para o fazer. Leia tudo neste artigo.

4 Conselhos para a Boa Prática de Caça à Perdiz

O sucesso da caça à perdiz depende de vários fatores, uns relacionados com as particularidades da espécie e outros com a prática da caça. Então, o que importa saber?

1. Conhecer as Características da Zona

O ideal é que o local da caçada conjugue as condições ideais à presença de perdizes com as da prática da caça, ou seja:

  • Zona de planície, com solo que facilite a circulação e a visualização dos caçadores;
  • Abundância de água e alimento para atrair as aves;
  • Conjugação de zonas abertas, com atividade agrícola, com outras de mato denso, ideais para a perdiz se esconder e nidificar;
  • Atividade predatória controlada.

2.Treinar o seu Cão para a Caça à Perdiz

Preparar o seu fiel amigo para a caça é fundamental, já que ele o irá auxiliar a detetar e a recolher as perdizes.

  • Treine o olfato do seu cão, dando-lhe a cheirar uma peça desta caça, para que no futuro seja mais fácil detetar e recolher estas presas;
  • Invista tempo na repetição, ajudando o animal a criar um hábito;
  • Deixe que o seu cão se junte a outros que já participam na caça à perdiz. Os cães funcionam por imitação e assim, ele aprenderá mais facilmente com os outros animais.

3. Respeitar alguns Princípios Básicos

Deve ter em consideração algumas diretrizes, tais como:

  • Inicie a caçada ao amanhecer, entre as 07:00 e as 10:00, altura em que as aves “saem” para se alimentarem;
  • Realize a caça à perdiz nas modalidades de salto, cetraria ou batida;
  • Siga com rigor as indicações que lhe são transmitidas durante a caçada, de forma a não colocar em risco a sua integridade física e a dos demais participantes;
  • Nos terrenos de regime cinegético geral, não cace mais do que cinco perdizes, em cada dia de caça.

4. Fazer a Manutenção da Arma e utilizar Munições adequadas

A sua espingarda deve estar sempre em perfeitas condições.

Teste-a antes de cada caçada e efetue controlos periódicos, junto de um armeiro profissional.

Utilize munições adequadas à sua arma e apenas as autorizadas para a caça à perdiz.

Onde pode Praticar a Caça à Perdiz?

Encontre informação sobre caçadas a realizar, em sites da especialidade.

Neles encontrará o tipo de caçadas e respetivas datas, bem como detalhes como localização, características da zona, programas e preços.

A Caça à Perdiz tem um Propósito Nobre

A caça à perdiz é uma oportunidade de fusão com a natureza, num contexto de convívio e partilha.

A caça tem regras, respeita ciclos e encerra em si um objetivo nobre de preservação das espécies.

Se quer saber mais sobre caça à perdiz, visite o nosso website.

4 Fatores que tem de Saber antes do Repovoamento de Zonas de Caça

A gestão cinegética destina-se a melhorar o habitat das espécies, promovendo um desenvolvimento racional e sustentável das mesmas.

No entanto, existem fatores que podem conduzir a uma redução da população de animais, sendo o repovoamento de caça a solução ideal para repor o equilíbrio.  

Saiba porque é que o repovoamento é tão importante e quais os seus fatores de sucesso.

A Importância do Repovoamento de Caça para a Atividade Cinegética

Nos últimos anos, e devido a alguns fatores de desequilíbrio entre o Homem e a Natureza, verificou-se uma diminuição no número de exemplares de algumas espécies de caça.

Como resposta, o repovoamento de caça tem-se revelado uma solução sustentável, que permite recuperar as populações em risco de extinção, assegurando a sua fixação e reprodução nos locais a repovoar.

4 Fatores importantes para o Repovoamento de Caça 

O repovoamento deve considerar, de forma integrada e eficiente, todos os elementos necessários à sua execução.

1. Caracterização da Zona

Antes do repovoamento deve ser feita uma avaliação da zona a repovoar, incidindo, fundamentalmente, nos seguintes aspetos:

  • Existência de pontos de água de qualidade;
  • Condições para a instalação de abrigos;
  • Existência de culturas que garantam alimento;
  • Predominância de predadores.

2. Estratégia de Repovoamento

O processo de repovoamento não se pode limitar à criação de espécies em cativeiro e à sua libertação nas zonas de caça, sem que exista uma estratégia que garanta a adaptação das espécies ao novo habitat e a sua sobrevivência.

Para isso, nada melhor que contar com a ajuda de especialistas em repovoamento de zonas de caça.

3. Preparação da Zona

Preparar a zona a repovoar, significa criar as melhores condições de adaptação ao novo habitat e favoráveis à sobrevivência e reprodução das espécies.

Pontos-Chave a considerar:

  • Escolher os melhores locais para construção de abrigos;
  • Definir as necessidades de instalação de bebedouros e comedouros;
  • Limpar os terrenos em redor dos abrigos, dos bebedouros e dos comedouros.

4. Fatores Críticos de Sucesso

A eficácia do repovoamento depende de 4 fatores críticos. São eles:

Abrigo

O papel dos abrigos é fundamental na adaptação das espécies à zona a repovoar.

Eles deverão ter as seguintes características:

  • Construção semi-rústica;
  • Possuir arejamento e sombra;
  • Ter acesso fácil a alimentação e água;
  • Estar afastados de predadores.

Água

A abundância de água de qualidade, em nascentes ou charcas, e o seu acesso em diferentes pontos da propriedade é fundamental.

É também importante efetuar análises à água, caso se verifique o uso de pesticidas na agricultura local.

Alimentação

A escassez de alimento pode ser um problema, sobretudo no verão.

Por isso, é importante dar preferência ao cultivo de trigo e milho de sequeiro, com colheita tardia, garantindo alimento às espécies, durante mais tempo.

Ausência de Perturbação

A maioria das espécies cinegéticas é sensível a agentes perturbadores, que devem ser evitados.

São eles:

  • Presença constante de gado;
  • Elevada predação;
  • Uso abusivo de agro-químicos;
  • Corte de arbustos e feno, sobretudo na época de nidificação.

Um Repovoamento eficaz é uma Questão de Estratégia

O repovoamento tem inúmeras especificidades, pelo que o mais recomendado é solicitar uma consultoria a um produtor ou criador qualificado.

A Quinta dos Penedinhos é especialista em repovoamentos de zonas de caça, contando com estratégias e técnicas inovadoras, que resultam na criação de espécies cinegéticas com qualidades excecionais.

Prestamos apoio na preparação de projetos de repovoamento, através dos nossos serviços de consultoria. Venha conhecer a Quinta dos Penedinhos.